A obesidade é uma doença crônica e progressiva, acarretando piora da qualidade de vida e graves problemas à saúde. Derivada de questões genéticas, má alimentação, sedentarismo, entre diversas outras causas, a cirurgia bariátrica apresenta-se como um dos métodos mais eficientes para o seu controle.

Os procedimentos cirúrgicos são recomendados para pessoas com obesidade grave, associada ou não a outras doenças. Para se submeter ao tratamento cirúrgico, o paciente deve ter índice de massa corporal (IMC) maior que 40 ou acima de 35, desde que relacionado a outras doenças, como diabetes e hipertensão, por exemplo.

Um dos primeiros passos é a consulta com uma equipe multidisciplinar especializada: cirurgião bariátrico, nutrólogo, nutricionista, psicólogo, entre outros. Cada profissional avalia como o organismo tende a responder à bariátrica com base nas características pré-cirúrgicas.

Além disso, exames complementares são realizados para detectar possíveis alterações e garantir melhores condições cirúrgicas. São solicitados:

· Exames laboratoriais (exames de sangue e urina)

· Endoscopia digestiva

· Ecografia abdominal

· Outros exames de acordo com as doenças associadas

Após o período de avaliação, o paciente estará apto a fazer a cirurgia, mas será necessário adaptar alguns hábitos antes de realizá-la. Na alimentação, por exemplo, é preciso começar uma dieta líquida 3 dias antes das intervenções, a fim de preparar o aparelho digestivo para o procedimento. Além disso, os fumantes devem interromper o consumo de cigarro cerca de 30 dias antes da cirurgia para diminuir as complicações pulmonares.

Já no pós-operatório será obrigatório, nos primeiros 10 dias, fazer uma dieta apenas a base de líquidos, com o propósito de adaptar o organismo dentro da nova condição. Junto a isso, o paciente passa a receber suplementos alimentares, pois a ingestão e absorção de nutrientes neste período é menor.

A reeducação alimentar tem grande importância no tratamento pós-cirúrgico para garantir que o resultado seja efetivo. Isso significa que o paciente continua sendo avaliado com o objetivo de mudar sua alimentação. Os exames também devem ser realizados periodicamente para detectar possíveis alterações ou deficiências metabólicas.

O tratamento psicológico é essencial antes e depois da bariátrica, para que o paciente compreenda e consiga lidar com as mudanças decorrentes da operação. É importante entender que o procedimento não dá fim às variações de peso, sendo necessário seguir as recomendações médicas para que os efeitos da cirurgia não se percam.

Quer saber mais sobre cirurgia bariátrica? Entre em contato comigo através do e-mail contato@drdallegrave.com.br